29/09/2015

Fechada para balanço.


Lembra do dia que eu jurei para mim mesma que não iria mais me apegar? Você estava tentando fazer com que eu desfizesse esse pensamento, no momento eu resisti e nas duas semanas seguintes também. Mas você foi me conquistando, ganhando espaço, liberdade... E eu fui cedendo, mesmo não querendo. Não querendo, que engraçado dizer isso quando tudo que eu queria era poder ter você comigo a todo e qualquer momento. Não foi exatamente isso que aconteceu... Só para variar um pouquinho.

Você insistiu para que eu deixasse essa mania de me esconder do mundo, de fechar o coração para balanço, mas de repente a pessoa que me induziu a fazer isso estava provando que era melhor que ter virado as costas e continuado com o meu pensamento de trancar o coração. Ao mesmo tempo em que me fazia bem, você me fazia mal. Ao mesmo tempo em que eu estava feliz de conversar com você, estava pensando que nunca foi só eu e nem seria. Foram tantas coisas, que hoje eu olho e penso “podia ter dado certo, mas novamente, não foi dessa vez”.

A gente precisa parar de pensar em como teria sido e arriscar para ter a prova real. Me arrependo de ter ficado esperando aquela atitude nunca tomada, aquele abraço nunca dado e aquele beijo nunca roubado. Me arrependo de ter te chamado para sair com os amigos, quando na verdade queria sair apenas contigo. Mas se eu não tentasse, estaríamos na mesma até hoje ou não.


Creio que foi melhor assim, cada um para o seu lado.... Se você apareceu na minha vida, tem algum motivo e algum dia irei saber, até porque ninguém aparece na vida de outra pessoa sem um propósito. Pode ser que no futuro a gente se esbarra numa dessas voltas que o mundão dá. Enquanto isso, deixo o meu mais sincero abraço e um boa sorte na vida, pois ela segue e as pessoas que conhecemos, vão ficando em algum pedaço dela.




Escrito por:
Beatriz França.
*******************************************************************************************************************************

Um beijo, e até o próximo post/desabafo.

Acompanhe nas redes sociais

01/09/2015

"Sabemos quem somos, mas ignoramos quem podemos nos tornar." - Vidas trocadas

Oiii gente, eu finalmente reapareci e dessa vez é com resenha, aquela que eu prometi.. A primeira dos livros da maratona. Esse livro eu peguei emprestado com a minha amiga e já foi citado na categoria "li até a página 100", agora nada mais justo que resenhar né?? Eu não sabia da existência desse livro e nem da autora, até minha amiga me indicar. Bom, vamos lá?

Título: Vidas Trocadas
Autora: Katie Dale
Editora: Benvirá
Páginas: 408
ISBN: 8582400136
Sinopse: skoob
Classificação: 


Trudie uma mulher não tão jovem, que morava na Inglaterra engravida e sua gravidez é de alto risco por conta de sua idade. No dia em que teve Rosie, seu marido sofreu um acidente e infelizmente não resiste. Ela estava frágil com tudo isso, e não poderia ficar sabendo que sua pequena filha havia nascido com dificuldade e Sarah (enfermeira e sua amiga de anos e anos) não disse isso a ela.

"Eu a perdi e ela nem mesmo era minha."

No mesmo dia havia nascido a filha de Kitty que tinha o sonho de ser uma grande atriz, ela não queria nem saber da filha, então liga para o "pai" do bebê que ela havia dado à luz e pede para ele ir para lá. Eles colocam o nome da filha como Holly Woods (acho que foi para idealizar o seu sonho de ser uma grande atriz).

"E quem se importa? E com o quê? Os opostos se atraem, afinal."

Os anos se passaram, Kitty tornou-se uma grande atriz, Jack (o pai de Holly) se mudou para a Nova Inglaterra nos Estados Unidos, Trudie e Rosie continuaram na Inglaterra, mas Trudie descobre que é portadora da doença de Huntington e isso vai enfraquecendo ela cada dia mais. Como quase ninguém conhece essa doença a chamavam de "bêbada" e vários outros apelidos, Rosie não tinha coragem de contar a ninguém o que sua mãe tinha.

Foi ela que cuidou de Trudie até seus últimos momentos de vida... Assim que sua mãe faleceu, Rosie se afastou de todos (até do namorado gato, que queria viajar o mundo com ela) só não se afastou de Sarah (que já era da família) e de Nana (sua avó). Como ela viu sua mãe morrer por causa dessa doença, resolveu fazer o teste já que sabia que a doença era genética. Sarah ao saber disso, fez uma revelação que mudou todo o contexto da história.


De repente, Rosie estava nos Estados Unidos, conheceu Kitty e Jack, mudou a vida dessas pessoas.. Com elas mais pessoas na bagagem. Jack não havia se casado com Kitty, formou outra família mas Holly ainda estava entre eles. Ela invadiu a vida da família Woods, bem no dia de seu aniversário (e do aniversário de Holly).

Holly e Rosie, não se entendem muito bem.. Rosie até tenta, mas Holly acha que ela jogou uma bomba em sua vida e que destruiu e tirou tudo que ela tinha. Acabou drasticamente com sua vida maravilhosa!

"E mais uma vez, a culpa é toda minha."

Nesse meio tempo, tudo acabou.. Rosie que havia voltado com o namorado Andy, terminaram e voltaram novamente umas três vezes, Jack e Rosie foram enganados por Kitty, Holly terminou com o namorado e voltou também, e a vida da família Woods continuou bagunçada.. Porém Rosie, já fazia parte dessa família cada dia mais.

*******************************************************************************************************************************

É isso gente, não da para falar muita coisa do livro se não sai spoiller.
Ah, sei também que Agosto quase não teve post (teve apenas um) mas eu tentarei compensar esse mês.
Me contem nos comentários se já leram ou tem vontade de ler esse livro.

Um beijo, e até o próximo post.


Acompanhe nas redes sociais