18/06/2018

Para solteiras, com amor

Oi minha gente, como vocês estão?? Eu tô bem, com várias ideias de posts e resenhas atrasadas (que novidade, né Bia?). Mas em uma semana duas resenhas, tá ótimo né? O livro da vez é um que eu estava querendo a muito tempo, que me rendeu perguntas sobre meu relacionamento (até porque, o título dava a entender que eu estava solteira). Enfim, vamos conhecer mais um pouco da escrita da Julia Faria?

Resenha "Para solteiras com amor (porque todo mundo já foi um dia)"

Título: Para solteiras, com amor (porque todo mundo já foi um dia)
Autora: Julia Faria
Editora: Paralela
Páginas: 192
Sinopse: Skoob
Classificação: ✰✰✰✰

Acredite, você não precisa ser solteira para ler esse livro. A Julia Faria tem um blog onde também escreve seus textos, então caso você tenha curiosidade para ler o livro dá um Google no blog dela. É sensacional!!

Os textos dela são sim de superação amorosa, mas além disso, te traz para o mundo real (vamos dizer assim). Mostra que aquele "carinha" não é tudo na sua vida, que na verdade você é muito mais do que era com ele. Te faz enxergar que talvez o seu relacionamento vai mal, que você já fez de tudo para salvar e agora tá só se desgastando.


"Você se acostumou tanto a estar mal que já está pronta pra outra e nem tinha se dado conta."

Ela também te mostra coisas do dia a dia dela que vai se encaixar perfeitamente no seu (pelo menos comigo, foi assim). Você vai ficar na bad? Talvez. Mas com toda certeza do mundo, você vai se amar ainda mais. Vai se colocar em primeiro lugar e tacar o famoso "foda-se" pro resto.


Obrigada Julia, por me mostrar que eu sou além de um relacionamento. Eu sou uma pessoa de carne e osso, que posso errar, acertar, chorar, ficar brava, alegre e tudo isso em menos de 1h. 

É um livro leve, que você lê em um dia se deixar. Tem ilustrações lindas também. E acredite, você vai sair renovada dessa leitura.

Vocês já leram?? Me contem! Quero saber o que mudou na sua vida depois do livro. 

Um beijo, um cheiro e até o próximo post.


Acompanhe nas redes sociais




14/06/2018

101 coisas em 1001 dias - Realizadas

Oi oi gente, como vocês estão? Eu sumi, mais uma vez, mas é o fim do semestre... Tudo muito corrido. Junta o trabalho com a faculdade e o resultado é uma Bia morta. O importante é que resolvi dar o ar da graça e trazendo pra vocês os itens que eu já cumpri ou desisti na segunda edição da tag "101 coisas em 1001 dias". Vamos ver se falta muita coisa?!


Saúde/Beleza
Nessa categoria eu coloquei 7 metas e já cumpri 3. Até que não é tão mal pra algo que eu sempre detestei cuidar (por incrível que pareça, detesto essas coisas de beleza e saúde). É necessário cuidar principalmente da saúde e é o que eu mais tenho feito nesse último ano.

1. Vacina dos 15 anos: depois de três anos, eu tomei. No fim do ano passado tomei vergonha na cara (também) e resolvi encarar esse monstro. Meu braço ficou doendo por dias, mas foi uma meta tão pessoal que me senti tão bem de encarar esse meu medo. Sim, medo! Eu morro de medo de agulha.


Eu bem feliz mostrando meu aparelho, depois de quase três anos usando. Foto: Arquivo pessoal.

2. Coloquei aparelho: talvez a pior das metas e a melhor ao mesmo tempo. Eu detesto o aparelho, tipo, muito mesmo. Ele dói, incomoda, quebra e o pior, não posso comer tudo que eu comia antes. Mas meus dentes estão ficando tão lindos que vale o esforço. Eu também morria de medo de dentista, SUPEREI.

3. Fazer a sobrancelha sempre: mais uma coisa que eu odiava. Dói e muito, odeio pinça, linha, cera, tudo que me faz sofrer de dor. Mas achei um lugar ótimo próximo da faculdade (Maria Vem Com as Outras, o nome do lugar, dá um Google quem quiser) e hoje, faço sempre. Quando fico muito tempo se fazer, dá um desânimo, minha autoestima fica lá embaixo. Agora entendo porque as pessoas gostam tanto disso.

DESAPEGAR
Nessa pequena categoria eu coloquei apenas duas metas, MUITO DIFÍCEIS por sinal. Desapegar é a pior parte pra mim. Seja de coisas ou de pessoas. Mas consegui cumprir 1 meta de 2.

4. Doar ou vender roupas que não uso mais: eu DOEI e VENDI. Fiz duas coisas boas com peças paradas. Doei para um projeto que ajuda pessoas carentes aqui em SP e na Bahia, e outras eu consegui vender por um preço super desapego na internet. Ajudei ao próximo e ajudei minha conta bancária ao mesmo tempo, mais 1 ponto pra mim!

Vista do Farol Santander. Foto: Beatriz França

VARIADAS
Talvez a categoria que eu mais ame? Talvez. Talvez a categoria que eu mais realizei coisas até agora? Talvez. Mas de 22 metas eu consegui realizar até agora 6. Não porque são difíceis, mas por causa do tempo mesmo.

5. Arranjar um emprego/estágio: SIMMM! CONSEGUI! Ano passado inteiro eu trabalhei em uma empresa fazendo pesquisa e vendendo. Era chato? Sim, mas eu gostava de trabalhar lá. As pessoas, o ambiente, o aprendizado. E no fim do ano passado, eu consegui o estágio. YAY! Eu tava DOIDA, D-O-I-D-A, atrás de estágio e consegui um ÓTIMO. Do lado de casa, trabalho com cultura e com pessoas legais também. VALEU DEUS, mais 1 ponto pra mim.

6. Explorar o centro de SP: eu consegui sair pra conhecer mais SP. Fui em exposições, andei na Paulista de domingo. Não conheci ainda do jeito que eu queria, mas tô quase lá. SP é realmente lindo demais. 

7. Tirar uma nova identidade com uma foto (não tão) decente: meu RG tava quase vencendo e eu precisava de outra. Ia fazer 18 anos, não dava pra sair com um RG com foto de criança, né? Minha foto não ficou tão boa nem tão ruim, ficou ok até.

8. Passar um fim de semana na Paulista: um?? Eu já passei uns 20 fins de semana na Paulista desde que comecei a namorar o Gabriel. E gente, aquele lugar é MUITO diferente sem os carros. Nem parece que estamos em São Paulo.

9. Virar a noite em um lugar legal com pessoas legais: depois que eu comecei a namorar eu conheci pessoas incríveis do círculo de amizade dele e não deu em outra, foi um role maravilhoso.

10. Ir na estréia de algum filme: assisti Guardiões da Galáxia 2 na estréia com o meu amorzinho. Era quinta-feira, a aula seria só pra pegar a prova e resolvemos fugir pro cinema. Foi uma ótima escolha, aliás.

COMPRAS
Eu me tornei aquilo que eu mais temia: CONSUMISTA. Essa lista serve pra ver o tanto de dinheiro gasto, mas não me arrependo de nada. De 9 metas eu consegui concluir 6 já.

11. Trocar de celular: nem foi por querer. Eu troquei porque o outro parou de funcionar e não dava pra ficar incomunicável. Agora tenho um G4 Play, em condições não tão boas, mas é o que dá pro momento.

12. Comprar uma câmera: meu maior sonho. Ainda não é a que eu queria, mas é boa pra começar. Comprei de segunda mão, mas quem liga?! Eu não. 

13. Comprar uns tênis diferentes: já conhece o site da kanui? Não?! Então, dá um google e vejam os tênis lindos e totalmente diferentes. Comprei logo quatro numa promoção ótima (sim, eu amo promoções e cupons).

14. Comprar várias calças jeans lindas: COMPREI UM MONTÃO. Mas tudo em promoção. Olha até rimou. Mas é verdade, eu amo promoção (já disse isso, eu sei) e cara, calça jeans é peça coringa. Não dá pra faltar.

15. Assinar Netflix: quem vive sem hoje em dia? Eu sou a doida da serie Grey's Anatomy e de outras também (aliás, preciso fazer post sobre) e não dá pra viver sem. Nem tem muito o que comentar, rs.

16. Assinar Spotify: só assinei porque tem desconto pra universitário, beijos.


Eu e o Gabriel em um gravação para o trabalho do grupo dele da faculdade. Foto: Arquivo pessoal.

SENTIMENTOS
ESSA É A CATEGORIA QUE EU TENHO TUDO COMPLETO. Desculpa a caixa alta, mas é que isso é uma vitória. E também a categoria mais amorzinho.

17. Abraçar mais pessoas: tenho sido mais amorosa ultimamente e abraçado bastante gente. Um abraço reinicia alguém especial, ele aconchega e tira o peso. 

18. Receber carinho sem pedir: tem coisa melhor? 

19. Ter retorno sentimental em uma amizade: conheci pessoas maravilhosas nesses últimos dois anos e tem sido demais. 

20. Ter um relacionamento duradouro: e não é que temos planos para daqui uns anos? Quem diria.

21. Dizer aos amigos o que eu sinto: dizer pro boy que a gente ta apaixonada é uma sensação linda, mas você já disse o quanto gosta dos seus amigos?? Isso é bem melhor, garanto. Ou melhor, ta no mesmo patamar. 

22. Empoderar algumas manas: isso também é uma sensação ótima. Você conseguir explicar um movimento e mostrar que é necessário estarmos juntas. 

AVULSAS
Nessa categoria eu coloquei coisas bem aleatórias MESMO. Metas de arrumação, de amor próprio e coisas bem nada a ver para algumas pessoas, mas faz todo sentido na minha vidinha.

23. Presentear pessoas que eu gosto sem ser data comemorativa: é o que eu mais tenho feito. É legal surpreender as pessoas do nada e ainda mais com coisas diferentes. Eu tô numa vibe de presente criativo, que olha...

24. Andar sozinha no shopping: parece besteira, mas eu ODIAVA andar sozinha no shopping. Não só no shopping, em qualquer lugar na verdade. Hoje, eu vou sempre sozinha. É uma vitória pessoal!

25. Praticar o amor próprio: amar alguém é ótimo, mas quando esse alguém é VOCÊ fica bem mais legal. Posso dizer com toda certeza que meu amor próprio hoje, é enorme. Claro que tem dias que não funciona muito bem, mas na maior parte ele está aqui, do meu ladinho.

26. Pensar antes de falar: eu sempre fui aquela pessoa que fala tudo que vem na cabeça, ERA essa pessoa. Hoje eu penso muito bem, depois de ver que falar sem pensar pode trazer coisas ruins pra nós mesmos.

CARACA, quanta coisa que eu realizei. Tudo bem, eu sei que não é nem metade, mas ainda tem tempo. Vocês nem imaginam como é bom ver essas metas cumpridas.

Continue acompanhando a tag aqui e se tudo der certo, vou cumprir tudo até fevereiro de 2019. Será?! 

Um beijo, um cheiro e até o próximo post.

Acompanhe nas redes sociais

30/05/2018

Sweeney Todd será publicado no Brasil

Oi oi pessoal, como vocês estão?? Eu tô bem e sumida né? Fim de semestre na faculdade, já viu. Hoje eu venho com uma novidade pra vocês. A Editora Wish está com uma novidade e tanto pra vocês, pra nós, pro mundo hahaha. Vamos ver qual é a novidade?

Foto: Disponibilizada pela Editora Wish

O livro "Sweeny Todd, o barbeiro demoníaco da Rua Fleet" foi originalmente publicado em 1846, na Inglaterra Vitoriana, é uma das Penny Dreadfuls mais famosas e queridas de todos os tempos. Lançado periodicamente em capítulos, em um formato semelhante ao folhetim, a história do barbeiro que assassinava seus clientes e fornecia a carne dos corpos para a fabricação das tortas mais famosas de Londres, ganhou grande popularidade no século XIX, sendo posteriormente adaptada para o teatro e também para as telonas, graças ao diretor de cinema Tim Burton.
A obra completa 172 anos agora em 2018 e a Editora Wish, já conhecida pelo seu trabalho com textos antigos, abriu no dia 07 de maio uma campanha de financiamento coletivo para publicar o livro, até então inédito no Brasil. A campanha ficará no ar por dois meses, e até o momento já foi arrecadado 80% da meta. Quem colaborar vai receber exemplares da obra e brindes extras.

Sobre o livro:
Todas as melhores tortas são feitas com ingredientes de qualidade. No caso das tortas da Srta. Lovett, o ingrediente principal é carne humana. Logo ao lado de sua loja, na Rua Fleet, fica a barbearia de Sweeney Todd. Após alguns incidentes, eles resolvem fazer uma parceria de crime para limpar a cidade das carnes menos honráveis... E lucrar com isso. Conheça Sweeney, a Srta. Lovett e Johanna mais de perto, exatamente como os vitorianos fizeram em 1846.

"Esta é uma leitura obrigatória, tanto para os fãs de Sweeney, quanto para aqueles que gostam de romances / thrillers da era vitoriana. Demorou três décadas para eu ter isso em minhas mãos; Não deixe a oportunidade de possuir esta história intrigante passar por você." - Depoimento de um leitor americano.


Para apoiar esse projeto, basta acessar aqui e o livro está com desconto de financiamento (mais em conta do que um livro de livraria), principalmente pelo frete grátis. O livro e brindes serão entregues em sua casa em Outubro, antes do Halloween!

E ai, que tal apoiar essa causa linda de um livro cheio de medo e tortas com ingredientes especiais? Eu já quero garantir o meu.

Um cheiro, um beijo e até o próximo post.

Acompanhe nas redes sociais